<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37983758\x26blogName\x3dAnucha+Melo\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/\x26vt\x3d5035176595317743179', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
quarta-feira, setembro 12, 2007
Em banho-maria



Fervura rápida ou comer cru? Eis a questão. Quando se está com fome, um bom o sashimi é uma opção quando não se quer deixar a carne mole, “pegando gosto”, sabe?
Mas, com o tempo, aprendi que cozinhando em banho-maria o “de comer” apura o gosto. Pois bem. Li esses dias na previsão astrológica para o meu signo um troço interessante:

“Há, neste período, uma espécie de "desacordo" entre cabeça e coração. A razão determina um caminho, mas o emocional quer outra coisa. Não chega a ser nada grave, mas tão somente um momento de indefinições temporárias e de acentuação de contradições. As escolhas mais adequadas ficarão mais claras ao final deste período, por isso até lá não se preocupe tanto em tomar atitudes. Deixe a coisa cozinhando dentro de você, até que a certeza se manifeste.”

Sabe, isso nunca soou tão alto dentro de mim. É como se eu precisasse ouvir e repetir isso pra mim a toda hora. Certeiro no alvo!

Desacordo entre cabeça e coração. (Mas tem nada não...)
Momento de indefinições temporárias. (Desde que se defina...)
Escolhas adequadas no final. (É pra lá que eu vou...)
Sem preocupação de tomar atitudes. (Ao sabor do vento e do tempo...)
Deixar cozinhando dentro. (Preparo de um delicioso menu...)

Ontem, ouvi de novo a música Miedo, do Lenine. E parei pra fazer a música “cozinhar” dentro de mim...

Tenho medo de ficar e medo de escapulir...
Tenho medo de esperar e medo de partir...
Tenho medo de correr e medo de cair...
Tenho medo de parar e medo de avançar...
Tenho medo de amarrar e medo de quebrar...
Tenho medo de exigir e medo de deixar...
Medo de olhar no fundo...
Medo de se arrepender, medo de deixar por fazer...
Medo de se amargurar pelo que não se faz...
Medo de perder a vez...
Medo de morrer na praia depois de beber o mar...
Medo que dá medo do medo que dá...
O medo é a medida da indecisão...

E, depois de apurar bem apurado, entendi que a gente precisa do medo para agir com prudência, cautela, paciência e tolerância. E tenho precisado de tudo isso para viver melhor a vida que estou escolhendo para viver. Estou feliz assim. Até enquanto me fizer sorrir estarei vivendo isso!
postado por Anucha Melo @ 5:34 AM 





0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial