<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37983758\x26blogName\x3dAnucha+Melo\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/\x26vt\x3d5035176595317743179', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
segunda-feira, agosto 13, 2007
“Às vezes, parece até que a gente deu um nó...”



Madrugada de hoje. Umas 4h30 acordo minha irmã no quarto ao lado com um suplicante: “Caaaaaachaaaaa!” Tava meio delirante, com calafrio, garganta fechada e sentindo o corpo todo dolorido. Parecia ter levado uma sova. Mesmo na ausência de um termômetro em casa. Diagnosticamos febre. Paracetamol na pessoa. E mais uma nimesulida pra desinflamar a garganta, que já estava fechada. Tive até crise de falta de ar.
Dia clareou, café da manhã rápido e rumei pra Fundação. Dia corrido. Espera alegre da estagiária que vai me dar uma mão lá. A escolhida é filha de um grande amigo, Luizinho de Aracaju. Um doce de pessoa que eu vou fazer questão de ensinar o que aprendi. Respirei mais aliviada com ela lá.

De tarde cedo, levei a Gaya de novo no veterinário. Resultado: minha filhota tá dodóizinha. Uns carocinhos que coçam muito e ela, lambendo e mordendo, não vai ficar boa nunca. Anti-séptico local e um detestável colar elisabetano para impedi-la de machucar. Aí está o problema: olha pra carinha dela com aquele troço... Tristeza geral aqui em casa. Eu, Guinha e Cacha querendo encontrar um jeito de tirar aquele negócio incômodo do pescocinho dela. Segundo a médica, ele deve ficar 10 dias com aquilo. Não sei se vou agüentar não... Tem um nó na garganta e na alma. Muito ruim ver filho sofrer!

Contagem regressiva na TV Cidade Verde. Novo programa especial. No aniversário de 155 anos de Teresina, uma linda homenagem, um encantador presente para a cidade. E nós, mais uma vez, vamos dar um show!!!

E, gente, vou indo, viu? A molezinha no corpo voltou. Tomei todos os cuidados e remedinhos que a Dra. Lela me receitou. Tomara que eu amanhã amanheça boa. Reza aí, ta?
P.S.: O trecho da música que entitula o post é do Lenine. E a foto foi feita sexta, quando eu recebia um dengo super melento da minha Gaya.
postado por Anucha Melo @ 10:12 PM 





0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial