<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37983758\x26blogName\x3dAnucha+Melo\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/\x26vt\x3d5035176595317743179', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
quinta-feira, janeiro 11, 2007
Porque cantar parece com não morrer...


tér
“... é igual a não se esquecer que a vida é que tem razão!”
Coloquei essa música na resposta de um mail hoje pro Daniel Heldt. Voltei a colocar música no carro. E isso é sinal que eu tô voltando a ficar legal. Tô cantando.
Li uma matéria beleza na Vida Simples, de uma edição do ano passado, sobre posturas mais amenas frente à vida e às pessoas. E um trecho me tocou. Vê se toca você!

“Cuidar e acolher não é apenas ser atencioso em momentos difíceis. É também tolerar o diferente e treinar para ser condescendente”.

Acho mesmo que a gente tem que levar a vida assim como se tivesse caminhando numa nuvem de algodão. Delicadamente. Suavemente. Gentilmente. Sutilmente. As coisas não podem passar incólumes pela gente, sabe? Não consigo me ver não gargalhando com uma das presepadas do Marquim, nem deixando de me emocionar assistindo a filmes como “A casa do lago”. Chorei, gente! Naquela hora em que ele abre o livro que o pai escreveu, em que ele é destacado como filho muito amado. Buáaaaaaaaaaaaaa...
Os seguidores de Buda, segundo a matéria, dizem que precisamos desenvolver mais nossa capacidade de ser tocados pelas alegrias e dores que nos cercam. Acredito nisso também. Dor e alegria devem ser antídoto para nossa emoção sempre.
Hoje, fiz uma matéria com o Gábi, Gabriel, irmão do Hermano, ex-namorado. E fiquei encantada de ver e ouvir a música dele que foi selecionada pra 5ª Bienal de Arte e Cultura da UNE, que acontece no Rio de Janeiro, final deste mês. Morena Manga é o nome do sambinha gostosinho que ele deve defender por lá. E eu toda orgulhosa do moço que, ontem menino, eu vi amadurecer na música e na vida. Parabéns, Gábi!
Pra fechar. Não contei ainda aqui não, né? Que a Tia Jack me trouxe de Buenos Aires um perfume manipulado especialmente pra mim. Ela contou que lá tem uma perfumaria que fabrica essências com as fragrâncias recomendadas para cada pessoa, de acordo com sua personalidade ou com a sua necessidade pessoal. Ela encomendou uma específica pra mim.
Nome do perfume: Tempo de Ser Feliz. Mistura: óleos puros de marjoram, ylang ylang e essências florais de água de rosas. Ação: despertar reconfortantes sentimentos de calidez, amor e felicidade. Mensagem final: Tudo o que há sob o céu tem o seu tempo... O relógio da vida marca uma nova hora para você.
Uau! Pelo sim, pelo não... tô usando o perfume. Tem um cheiro bom. E, devo confessar, que me sinto bem quando uso. Talvez esteja sugestionada. Pois que assim seja. Sugerindo o meu tempo que há de chegar!
p.s.: Esse clima de Jeri me deixa positivamente feliz!
postado por Anucha Melo @ 9:08 PM 





0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial