<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37983758\x26blogName\x3dAnucha+Melo\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/\x26vt\x3d5035176595317743179', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
quarta-feira, janeiro 10, 2007
Deixa eu contar essa...



Na tarde do dia 31 de dezembro de 2006, na volta da praia, a Lícia veio com um papo, que eu nunca tinha ouvido falar. Uma simpatia pra ter sorte no amor no ano seguinte: dar uma bitoquinha num homem solteiro na virada do ano.
Como assim, Bial?
Beijar qualquer homem solteiro assim, do nada? Chegar e dizer: “ei, vou te dar um beijo, viu?” Muito estranho. Eu juro que, ao subir na duna lá em Jeri, não tinha a menor expectativa de que isso acontecesse de fato. Não tava com clima, sabe? Tinha passado mal no fim da tarde, tava mareada, cansada, reflexiva, meio abusada até, eu diria.
A gente chegou a combinar com um amigo comum que, se não pintasse um paquera na duna pra gente, era nele mesmo que o beijo seria dado. Pois num é que, como que por encanto, apareceu uma figura que ninguém conhecia do nosso lado na hora dos fogos, pediu pra acender o cigarro com a aline e... a Lícia foi na cara dura falar com o cara?!
Detalhe: ele não entendia uma só palavra em português. Chamamos a Natacha pra ser a tradutora. Resultado: o cara beijou uma por uma da turma. Bitoquinhas simples. Mas beijou. Entrou na dança, todo envergonhado, mas cumpriu direitinho a tal simpatia. Talvez, encantado com a simpatia ela própria, claro!
O cara tem um nome estranho, que eu não vou conseguir escrever direito. Mas, a pronúncia é alguma coisa como GUÉRETCHI. Um fisioterapeuta belga que estava viajando pelo Brasil e passando o reveillon sozinho em Jericoacoara. Ficou o resto da noite com a nossa turma. Uma doce de criatura!
Por que eu to contando isso? Não que eu acredite em simpatia. Não que eu tenha fé que vou ter sorte no amor nesse ano porque dei bitoca em um homem solteiro à meia noite do reveillon. Não que eu esteja contando vantagem.
Acho que é mesmo pra tirar o meu foco do papo de ontem. Que ainda me dói um pouco. Mas, respiro melhor agora depois de ler/ouvir vocês. Em especial, um recado deeeeessseeee tamanho que alguém que eu amo deixou nos depoimentos reservados do meu orkut. Impressionante como tem gente que me lê a alma...
Por falar em alma... acabo de ler algo que o Fernando CB me falou no msn: “decepção é só pra gente saber como funciona a alma de pessoas pequenas”.

p.s.: "O bendito é o fruto" entre Veruska, Natacha, Lícia, eu e Aline. Lumi tava arranjada com o George...
postado por Anucha Melo @ 9:42 PM 





0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial