<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37983758\x26blogName\x3dAnucha+Melo\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/\x26vt\x3d5035176595317743179', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
segunda-feira, janeiro 08, 2007
Mudar não dói



Acordei diferente. Calada. Remoendo coisas. Reflexiva. Chata pra maioria. Quem é mais sensível percebeu que havia algo estranho no ar. Preferi voltar pra casa. Me fechar no quarto. Me fechar em copas. Pensar. Ruminar. Reagir. Sumir. Dormir.
Ao acordar, meio da manhã, limpei as gavetas da escrivaninha, arrumei a bancada do computador. Rasguei fotos. Limpei meus armários. Fui jogando o lixo fora. Longe de mim. Uma situação análoga a que pretendo fazer na alma. Ontem, sem pegar no sono fácil, retomei minhas leituras. Folheei a Lya Luft. Passei as páginas de um estudo sobre a água. Lição de casa passada pela Dra. Amaríles, minha chefa na Fundação. Mas me detive mesmo foi na matéria de capa da mais nova “Vida Simples”. Já disse aqui o quanto essa revista é bacana? Pois, em 2007, você vão enjoar do tanto que vou repercutir aqui o que tenho aprendido por lá.
Sabe qual o tema que me fez pensar e pensar e pensar por quase uma hora depois? “MUDANÇA A CAMINHO”. Alguém sugere um tema mais propício para um início de ano? Mais conveniente, eu diria. A matéria me deu logo uma paulada assim: É PRECISO PERDER O MEDO E ENFRENTAR O DESCONHECIDO. Leia-se aí: o que vem pela frente. Especialmente, após uma mudança. Seja ela como for. Mais na frente, a proposta direta de planejar coisas a fazer para implementar essa mudança. Uma pergunta me bombardeou: O QUE VOCÊ QUER MUDAR NA SUA VIDA? Muitas coisas, disse de súbito. Mas o quê?, me questionei. Aprendi, então, que é preciso traçar uma espécie de mapa da vida, um círculo dividido em quatro partes: VIDA PESSOAL, VIDA PROFISSIONAL, VIDA CULTURAL E VIDA ESPIRITUAL.
Faltam alguns pontos a definir, listar mesmo, sabe?! Escrever, registrar e voltar a ler para me comprometer mais ainda, entendeu?
Antes de mais nada preciso definir o que EU QUERO mudar. Porque nem adianta eu dizer que vou me comprometer com isso ou aquilo, se de fato não for da minha vontade. Não é mesmo? Tudo o que eu mais quero na vida é SER MAIS FELIZ. Tá vendo como mudei a conotação da frase? Antes, e há muito tempo, eu falava assim: “eu quero ser feliz”. Como se hoje, com o que eu tenho, a vida que eu levo, as pessoas com as quais eu convivo, eu não fosse feliz. E sou. Mas quero ser MAIS. Ora, não posso querer? Claro, que sim. Eu mesma respondo, porque a resposta está em mim, gente!
Outra coisa que aprendi lendo a matéria é que existe em nós um DILEMA que pode pintar no meio do caminho das tentativas de mudança. São aquelas vozesinhas internas e conflitantes. Uma parte de mim quer cumprir a meta. A outra me boicota e quer curtir preguiça. Preguiça de mudar. Ah, mas não sou e nem nunca fui acomodada com nada na minha vida. Então, preguiça é coisa que eu não curto. Quanto mais se for pra me prejudicar. Certo? Errado. Esse BOICOTE é, muitas vezes, involuntário, mais forte do que eu. Me sufoca, me congela, me paralisa.
Por isso, entendi também que preciso urgentemente de ajuda espiritual para sair desse limbo. Sim, porque a fase entre a decisão de mudança e a mudança de fato é um verdadeiro pântano.
Já disse e repito. Não vou fazer aqui listas de coisas a fazer/mudar em 2007. Mas, um ponto vou dividir, sim. Preciso voltar a meditar. E a ioga me ajuda muito nisso. Por isso, tenho, ou melhor, QUERO voltar pra ioga. E sinto que preciso me voltar mais pra Deus... rezar, louvar, agradecer, pedir. Ficar mais perto DELE. Pode apostar como farei isso também.
É isso. Enchi vocês com meu blá-blá-blá?

P.S.: HOMENAGEM PRA CACHA AQUI, Ó: www.anuchamelo.fotoblog.uol.com.br
postado por Anucha Melo @ 8:26 PM 





0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial