<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37983758\x26blogName\x3dAnucha+Melo\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/\x26vt\x3d5035176595317743179', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
segunda-feira, fevereiro 19, 2007
Tem muito Brasil aqui pra cima!



"Quisera eu simplesmente pesar tão somente aquilo que me sobreleva...”
Clarice Ge

Começou assim... A Mariana Arraes, minha linda e querida colega jornalista e publicitária, mandou um mail do mail que mandou pra jornalista da Folha On, Bárbara Sei lá de Quê, em que ela fazia deboche num artigo que publicou... olha só:

“O INSTITUTO Dom Barreto, de Teresina, no Piauí, é a melhor escola do país? Sei, sei. Agora conta aquela do papagaio.Com todo o meu respeito pelos alunos do colégio particular que obteve a melhor média geral do Exame Nacional do Ensino Médio, será que a prova do Enem serve mesmo para identificar as nossas melhores instituições de ensino? Será que o Instituto Dom Barreto prepara melhor seus alunos do que, digamos, o Santo Américo, o São Luís e o Santa Cruz, de São Paulo, ou o São Bento e o Santo Inácio, do Rio?”

Ao ler, tomada por uma incorrigível necessidade de falar logo pra não entalar, escrevi um mail pra tal jornalista e enviei de bate-pronto. Hoje, até tinha um monte de coisinha legal que me aconteceram nesses dias pra contar (como uns beijos muito bacanas que ganhei no sábado de carnaval!), mas fica pra depois. Quero dividir com vocês essa minha revoltazinha. Abaixo a ignorância! Abaixo a ditadura de que o que é bom está fora do Nordeste. O Piauí é aqui em cima, povo! E quem não conhece precisa fazê-lo antes de falar sem sabê-lo. (Vixe, falei difícil. E nem sei se falei certo... ah, não importa. Tá falado!)
Então, ta aí meu desabafo!

Bárbara,
assim como a Mariana, também sou jornalista. Nunca estudei no Instituto Dom Barreto, em Teresina-PI, mas não por falta de vontade, mas é que minha mãe não tinha condição de me manter na escola. Certamente, uma das mais caras do Estado. Como jornalista, fui convidada pelo próprio Prof. Marcílio Rangel para editar o jornalzinho da escola. Ao questionar a ele o por quê da escolha, já que existem muitos bons jornalistas que foram formados lá, ele me respondeu: "Porque admiro você, o seu trabalho e queria a melhor para trabalhar no que considero a mais preparada escola de formação de pessoas". E ele estava certo. Certíssimo! Convivendo com ele, sua equipe e seus alunos, pude vivenciar a dinâmica daquela escola ímpar. É isso mesmo, dona Bárbara. Não tem par para o Dom Barreto. Os tais colégios a que você se referiu podem até ser bons. Mas não são os melhores e não devem formar as melhoras pessoas. E ainda tem mais... o Dom Barreto se mantém com arrecadação própria, sem subvenção nenhuma do Estado. Ao contrário, o colégio patrocina cultura, investe em projetos sociais e envolve a sua comunidade a participar de eventos que valorizam a cultura e as tradições.

Somos um Estado orgulhoso não pelo resultado do Enem, a que você fez questão de usar como chacota barata para a reportagem tão barata quanto. Não sei quem você é. Nem sei se tem idade para ser minha mãe. Mas, certamente, precisaria, como bem disse a colega Mariana, pesquisar mais para emitir sua opiniões que só devem interessar mesmo a esse reduto em que você vive. E, pelo visto, acham que o Brasil termina aí nesse eixo SP-RJ-BH. Tem muito Brasil aqui pras bandas do Norte, jornalista? (Posso lhe chamar assim? É isso que você é?) E um Brasil construído sobre as bases da humanidade, da decência, do respeito ao valor do próximo, da dignidade, da educação.

A educação dos que estudaram, estudam e ainda vão estudar no Instituto Dom Barreto cria um sentimento de orgulho coletivo em toda a população de Teresina e do Piauí. Somos, sim, um Estado pobre. Mas somos um lugar de gente com vontade de crescer, batalhar por um lugar ao sol. E estou certa de que a melhor forma de se chegar ao sol é através da boa educação. O Dom Barreto dá bússola, leme e direção dos ventos.

Espero, sinceramente, que você tenha tido a decência de ler esse mail e o da Mariana até o fim. Para ter a oportunidade de descobrir que nem eu, nem a Mariana temos procuração do Instituto Dom Barreto para defendê-lo. Mas trazemos na nossa alma jornalista a indignação latente sobre qualquer forma de injustiça. Você e sua matéria preconceituosa são a prova disso.


Desculpa aí, viu, meu povo! Mas a memória do Professor Marcílio é muito presente aqui na alma pra eu deixar passar esse desaforo sem ser desaforada e meia!
Fui!

P.S.: FOTO BY DANI RÊGO. SANATÓRIO GERAL. ONDE FUI ESTAVA BEM FELIZ NO SÁBADO PASSADO!
postado por Anucha Melo @ 2:34 PM 





0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial