<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37983758\x26blogName\x3dAnucha+Melo\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/\x26vt\x3d5035176595317743179', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
terça-feira, fevereiro 13, 2007
Lembranças do ninho



Morri de rir ao ler os comentários que a Sankinha fez no post de ontem. Muito mais por ter a certeza de ela estava dobrando gargalhadas pensando na minha alegria em abrir o haloscan pra ver os quatro comentários. Todos dela. E rimos muito, mais tarde, quando ela me disse que agiu exatamente assim. Rindo. Muito. Bem, a saudade parece que vai ser amenizada nesses dias de carnaval. Contagem regressiva, pois.
A Gaya tem transformado esse apê da gente em festa. Como pinota essa pequena! Como quer atenção. E tem. Da mãe, eu. Da tia, a Cacha. E da vó, Maria. Da prima, Mel (a gatinha da Cacha), por enquanto, ela só tem desconfiança. A relação das duas ainda é de muito ciúme. Tomara que seja temporário.
Hoje, numa conversa com a Cacha, tive um estalo. A Gaya vai crescer. Vai precisar de espaço. E daqui um tempo lá vou estar me decidindo a ir morar numa casa. Pra que ela gaste a energia dela. E nos dê só um pouquinho de sossego algumas vezes. É, gente, filho, às vezes, cansa... hehehehe
Tô eu aqui conversando com vocês, enquanto a Cacha toma banho aos uivos e latidos da sobrinha. Tchau, viu? Vou socorrer minha mana. Mas... só pra controle... quero reproduzir aqui a poesia do Naeno, que ele me deixou aqui de presente. Por que lembrei dela? Porque hoje senti uma falta danada de ter alguém com quem dividir os sonhos...

“Se o amor já veio ao teu ninho, e te alimentou,
Regogitando beijos, e água necessária à tua sobrevida,
Não te avexes com sua demora, se já secou,
Há umidade em teus lábios, e sentes sede, e duvidas.
Que ele de revolverá com as mesmas lembranças do ninho,
Não te precipite muito, o cume da encosta, a ele está de vista.
É que não achou ainda a estrela que se lançou a caminho,
Mas com certeza, se te alimentou, alimentou-se também, e a conquista,
Do teu coração, quando querias, deixar em ti esta saudade,
Completar o teu corpo com a cria que agora aguardas,
O amor não tarda, nem falham seus instintos de procura.
E ele, que já foi uma vez e outra, tem guardado no instinto,
A forma da tua boca, do teu coração, as batidas,
E nunca, nunca ele se perderá do ninho, do seu caminho.”
(Naeno)
postado por Anucha Melo @ 9:42 PM 





0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial