<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37983758\x26blogName\x3dAnucha+Melo\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://anuchamelo.blogspot.com/\x26vt\x3d5035176595317743179', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
domingo, outubro 14, 2007
Buscando esquinas certas...



Cansada. Corpo doído. Garganta irritada. Nariz congestionado.
Cabeça ainda lateja. Das histórias, dos desmantelos, das viradas.
Casamento da Débora e do Felipe foi “confete e serpentina” na dor.
Dancei tanto que, como diz a Tia Jack, deixei os fantasmas na pista.
Sono. Muito sono. Precisando descansar o corpo e a mente. Relaxar.
A Gaya tá estressada pela viagem da Maria. Latiu o dia inteiro.
Zildinha veio fazer visita. Linda, minha irmã. Fazer dengo. Colo.

O Fabiano Rangel me disse uma coisa dia desses, que merece post:
“SE CAIR, COLOQUE AS DUAS MÃOS NO CHÃO E LEVANTE. PORQUE A BRINCADEIRA TEM QUE CONTINUAR!”
Isso a gente diz pra criança, né? E é exatamente assim que elas agem, as crianças. Pois que eu seja uma criança que não quer perder a brincadeira. Que eu sacuda a areia do joelho e meta o pé na carreira (essa expressão é a cara da mamãe!). Tem muita brincadeira boa ainda pra brincar.

Atualizei meu álbum no orkut e lá pensei sobre uma frase que a Zildinha disse aqui em casa hoje (ela veio me fazer uma visitinha!): “Buscar as esquinas certas...”. E lembrei de uma reflexão que fiz na missa do casamento do Felipe e a Debinha: “tenho dobrado em esquinas erradas há pelo menos dois anos”. Vou estacionar e refletir melhor sobre isso...
Indagorinha, numa conversa boa danada com o Danilo Bona pelo msn, falávamos sobre tanta coisa... inclusive, música. Então... termino com uma que toca muito a minha alma.

“Ela sabe que está só
E nessas horas isso dói.
E como uma criança
chora um choro que parece não ter fim...
Deitada, ela descansa
e se lembra que é forte mesmo assim... sim...”


Sou forte. Resilientemente forte. Lembrar-me-ei disso. Sempre.
Tenho dito!
postado por Anucha Melo @ 8:35 PM 





0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial